sábado, 16 de novembro de 2013

Primeiro Estágio - Drogaria

O texto abaixo é parte do relatório de estágio de uma estudante de farmácia, que nos permite conhecer um pouco do ambiente de uma Drogaria e as responsabilidades de um farmacêutico

"O estágio supervisionado em farmácia ou drogaria constitui uma etapa fundamental na formação dos alunos do curso de Farmácia, pois favorece a conciliação da teoria e da prática, com a orientação constante de um profissional experiente, permitindo ao aluno instrumentalizar-se com o exercício da profissão. Em um país como o Brasil, em que o índice de informação é baixo, o profissional farmacêutico, na maioria dos casos, acaba sendo o primeiro contato dos pacientes diante de uma enfermidade. Nesse caso, foi possível observar durante o estágio que os farmacêuticos devem estar preparados e serem solícitos para prestar a devida assistência farmacêutica ao indivíduo, orientando-o a procurar o serviço médico sempre que julgar necessário. Ao dispensar um medicamento, o farmacêutico informa ao indivíduo todo cuidado com a administração do mesmo, como a via e o horário que deve ser administrado, bem como as possíveis interações que podem levar a potencialização ou diminuição do efeito. Além disso, é obrigação do farmacêutico prestar as orientações necessárias na dispensação de medicamentos isentos de prescrição, garantindo uma automedicação responsável. Também como são de responsabilidade do farmacêutico a entrada e saída dos medicamentos sujeitos a controle especial e/ou os medicamentos de prescrição obrigatória, que requerem atenção especial não apenas no controle administrativo, mas em especial na dispensação dos mesmos, sendo que estes devem ser dispensados somente com a apresentação da receita médica conforme a lei solicita. Além de realizar todas as atribuições pertinentes a profissão de acordo com a legislação, foi observado no período de estágio que o farmacêutico também é responsável por garantir o treinamento dos funcionários, a organização administrativa da farmácia e a gestão de pessoal.


1. INTRODUÇÃO 



O estágio supervisionado em farmácia ou drogaria constitui uma etapa de fundamental importância, pois propicia ao aluno relacionar o conteúdo teórico com a prática da profissão farmacêutica, permitindo instrumentalizar-se para o exercício profissional. Além disso, permite ao futuro profissional adquirir visão crítica e abordagem sistêmica relacionadas à profissão, visão do campo de trabalho, das relações humanas, da ética profissional, vivenciando a aplicação das ciências farmacêuticas na assistência ao paciente, sendo este o papel fundamental do farmacêutico (ULBRA, 2011). 
A farmácia é por sua natureza um centro prestador do serviço público, onde há, além da distribuição de medicamentos, atenção à saúde da população (SANTOS, 1998b apud FERRAES e CORDONI, sem data). Toda farmácia ou drogaria deve contar, obrigatoriamente, com profissional farmacêutico responsável, que assuma de forma efetiva e permanente a direção técnica da mesma (BRASIL, 2001). 
O farmacêutico é o profissional capacitado que atua na farmácia para orientar, educar e instruir o paciente sobre todos os aspectos relacionados ao medicamento (FERRAES e CORDONI, sem data). Segundo a Lei 5.991, de 17 de Novembro de 1973, é de responsabilidade do farmacêutico o processo de dispensação de medicamentos na farmácia (BRASIL, 1973). 
Na maioria das vezes, o farmacêutico é o último profissional a ter contato direto com o paciente antes de dar início ao tratamento. Esse contato pode ser imprescindível para motivar o cumprimento do mesmo, pois a orientação é um processo vital quando se tem por objetivo a adesão do paciente ao tratamento. A qualidade da orientação fornecida ao usuário, sobre a utilização correta do medicamento, pode ser condição essencial para o sucesso de qualquer tratamento (FERRAES e CORDONI, sem data). No entanto, a ausência da assistência farmacêutica pode resultar em uma das principais causas de retorno de pacientes aos serviços de saúde, acarretando mais sofrimento à população e onerando ainda mais o sistema de saúde (RECH, 1996b apud FERRAES e CORDONI, sem data). 
A assistência farmacêutica é definida, por lei, como um conjunto de ações e serviços que visam assegurar a assistência integral, a promoção, a proteção e a recuperação da saúde nos estabelecimentos públicos ou privados, desempenhados pelo farmacêutico ou sob sua supervisão (BRASIL, 2001). 
Cabe lembrar que a assistência farmacêutica é o termo utilizado pela Política Nacional de Medicamentos que designa o grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade (BRASIL, 1999) e que, segundo o Código de Ética, é dever do farmacêutico prestar a assistência farmacêutica (BRASIL, 2004). 
Além da prestação da assistência farmacêutica, o farmacêutico possui outras responsabilidades e atribuições que são inerentes a profissão. Cabe ao farmacêutico zelar pelo perfeito desempenho ético da farmácia (BRASIL, 2004), estabelecendo o cumprimento da legislação pertinente ao estabelecimento (BRASIL, 1999). 
O farmacêutico deve, também, avaliar a prescrição médica (BRASIL, 1999), aviando somente prescrições escritas a tinta, legíveis, contendo o nome do paciente, nome do medicamento, forma farmacêutica, posologia, apresentação, método de administração, duração do tratamento, data, assinatura do profissional, endereço do consultório e o número de inscrição no respectivo Conselho Profissional. Havendo necessidade, o farmacêutico deve entrar em contato com o prescritor para esclarecer eventuais problemas que tenha detectado (BRASIL, 2001). 
Além disso, de acordo com a Resolução 328, de 22 de julho de 1999, é responsabilidade do farmacêutico assegurar condições adequadas de conservação e dispensação dos produtos, organizar e operacionalizar as atividades da drogaria, prover treinamento aos funcionários, manter atualizada a escrituração, manter arquivos atualizados com a documentação correspondente aos produtos sujeitos a controle especial e manter a guarda desses produtos de acordo com a legislação específica (BRASIL, 1999). Os produtos sujeitos a controle especial devem ser guardados, sob chave, em armário exclusivo para este fim e a dispensação é uma atribuição exclusiva do farmacêutico (BRASIL, 1988), sendo vedada a delegação de responsabilidade sobre a chave dos armários a outros funcionários da farmácia que não sejam farmacêuticos (BRASIL, 2001). 
O farmacêutico, ao aviar uma prescrição de medicamento sujeito a controle especial, tem por responsabilidade verificar se a mesma está composta por duas vias (uma do paciente e uma que fica retida na farmácia) e se todos os itens estão devidamente preenchidos. Os medicamentos controlados estão dispostos nas listas de substâncias controladas, e o farmacêutico tem por obrigação conhecê-las e saber as exigências inerentes a cada uma delas (BRASIL, 1988). 
Toda dispensação de medicamento sujeito a controle especial deve ser registrado em Livro de Registro Específico e a movimentação do estoque deve ser remetida pelo farmacêutico à Autoridade Sanitária (BRASIL, 1988). 
Recentemente, os antimicrobianos também passaram a exigir receita em duas vias e a retenção de uma das vias pela farmácia, sendo atribuição do farmacêutico registrar nas duas vias a data da dispensação, a quantidade aviada, número do lote e sua rubrica (BRASIL, 2011). 
Outras atribuições do farmacêutico podem ser a aferição da pressão arterial, temperatura, determinação de parâmetros bioquímicos, como glicemia capilar, colocação de brincos, inalação, pequenos curativos e aplicação de injetáveis. No entanto, esses serviços podem ou não ser exercidos pela farmácia, sendo que para exercê-los é necessária uma sala apropriada, como é o caso da aplicação de injetáveis (BRASIL, 2001).
Diante de todas as responsabilidades e atribuições que o farmacêutico possui, observa-se que sua presença na drogaria, além de obrigatória, é essencial, pois além de conduzir toda a parte administrativa e legal do estabelecimento, ele é um profissional indispensável à saúde coletiva (FERRAES e CORDONI, sem data; BRASIL, 2001; BRASIL, 2004). 

2. OBJETIVO 

O estágio curricular III teve como objetivo: 

- conhecer e aplicar o Código de Ética Farmacêutico; 

- conhecer os parâmetros legais pertinentes a drogarias, com base na Legislação Sanitária vigente; 

- ter contato com o usuário, e a população em geral; 

- desenvolver postura e entonação de voz, visando o aprendizado da assistência farmacêutica; 

- observar os medicamentos quanto à sua forma de administração, praticar a leitura da bula de medicamentos, familiarizar-se com os termos técnicos e compreender a importância das informações nela contidas; 

- treinar as atividades elementares, como a aferição de pressão arterial, a pulsação e o teste de glicemia capilar. 

- Aplicar conhecimentos adquiridos durante o curso, observando e atuando na rotina de uma drogaria. 


3. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 

Durante o período de estágio todas as atividades do farmacêutico responsável e dos funcionários foram acompanhadas, porém na prática não foi possível desenvolver todas essas atividades, pois muitas delas são de atribuição exclusiva do farmacêutico responsável.

4. CONCLUSÃO 


O estágio na Farmácia Parque das Árvores foi de grande importância, pois possibilitou conhecer a grande quantidade e variedade de produtos e medicamentos existentes no mercado farmacêutico, a freqüência de prescrição dos mesmos, permitindo uma maior familiarização com as classes farmacoterapêuticas, com as formas de administração, com os termos técnicos e com as bulas dos medicamentos. Em contrapartida, possibilitou o contato com a população e com as dúvidas mais freqüentes dos clientes com relação aos medicamentos. 
Houve também a oportunidade de conhecer melhor as legislações pertinentes as farmácias e drogarias e a profissão farmacêutica. 
Além disso, foi possível treinar as atividades já aplicadas em sala de aula como aferição da pressão arterial, pulsação e aferição da glicemia capilar. 
Foi possível, ainda, adquirir conhecimentos sobre a administração de uma farmácia, a gestão de pessoal, a liderança de equipe e a postura profissional diante de erros e problemas e de como solucioná-los. 
E diante de todo conhecimento adquirido durante o período de estágio, observa-se que o profissional farmacêutico possui papel fundamental na drogaria, principalmente ao que diz respeito à assistência farmacêutica."



2 comentários:

  1. quem foi o autor do texto???
    isso é erro grave publicar texto científico sem dar crédito ao autor... nenhum texto pode ficar no anonimato... eu tirei uma citação deste texto mas não posso dizer quem disse pois não há identificação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, foi de minha autoria, meu nome em publicações literárias está PRADO.MHS. Mas como coloquei no meu blog deve referências como ABNT manda para citações de páginas online. Todos os livros citados foram identificados e referenciados no texto. Fico a disposição.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...